sábado, 11 de dezembro de 2010

Maputo



Maputo é o É o lugar cujo o maior orgulho aparente – deleitam-se seus cidadãos – é ser terra da sétima (sétima) mais bonita (bonita, bela e tal) estação de trem (comboio) do mundo. Tudo morre, sem sequer nascer ali. Foi lá que descobri o amor verdadeiro. Foi ali que reinventei o ódio. É disso que sou feito agora. Sou feito de dum trato, dum asco, dum momento em que, numa estrada, essa saudade foi forjada. Uma saudade tosca. O palco de meu ódio. Maputo não exige. Maputo não é. Maputo é passado puro e um seco e descontente presente aqui, de tão longe que, afinal, é. Eu já disse o quanto odeio Maputo?


João Pessoa

Tenho trabalhado nisso.




Este post corresponde ao post incompleto referente às cidades






2 comentários:

Quem Me Dera disse...

Ainda está preso as lembranças do passado que as vezes torna-se amargurado...a hora que isto passar vai ser fácil pular para o post João Pessoa...sinto que falta pouco...beijos de quem te admira. Paty

Anônimo disse...

meu, caga em maputo. aproveita os botequins de joão pessoa, com apim frito e original gelada.

beijos
tha e gab´s